sábado, 7 de outubro de 2017

a propósito da primavera

a propósito da primavera
:
e se a palavra for sangue?
a gente estanta
.
e se a palavra for medo?
a gente luta
.
e se a palavra for dura?
a gente quebra
.
e se a palavra for amarga?
a gente cura
.
e se a palavra for muda?
então a gente planta

(Bianca Velloso)

verdade

verdade
:
cada um tem a sua
.
minha verdade
é pura e simplesmente
a palavra
.
ainda que seja vulnerável
ainda que seja insustentável
minha verdade
é pura e simplesmente
a palavra
.
a palavra crua
a palavra nua
.
a palavra lava
a palavra larva
a palavra lavra
a palavra lacra
a palavra clara
.
a palavra
.
a palavra cura

(Bianca Velloso)

o sonho

(para Denise de Castro)

o sonho
:
esta realidade
que atravessa as paralelas da vida
e nos faz existir em poesia

(Bianca Velloso)

sobre o desejo

já reparou
repara
repara bem
repara que tem
é sutil mas tem
...
tem outra cor
outra textura
outra espessura
outro sabor
:
os lábios quando desejam
.
eu desejo o beijo teu

(Bianca Velloso)

sobre as feras que me habitam

quem me olha assim
nem imagina
.
eu não sei lidar
com a mansidão
.
tenho gosto pelo exagero
:
os vendavais
os tsunamis
os temporais
as explosões
.
eu não sei lidar
com a mansidão
.
tenho gosto pelo improvável
:
a patagônia
o himalaia
o atacama
a via láctea
.
eu não sei lidar
com a mansidão
.
tenho gosto pelo impossível
:
o universo
o oceano
o horizonte
o corpo humano
.
eu não sei lidar
com a mansidão
.
quem me olha assim
nem imagina

(Bianca Velloso)

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

sobre sonhar

todo sonho é um despertar
todo sonho é mapa
:
caminho
chão por onde andar

(Bianca Velloso)
(con)versando
- sobre ou com -
os sonhos
:
teu sonho de fundo
teu sonho de base
sonho latifúndio
sem dono, sem amarras
o sonho para além de tudo
além do muro
além das normas
além das janelas
além das telas
além das verdades
além das saudades
além do mundo
da vida e da morte
teu sonho cotidiano

(Bianca Velloso)